Victoria Falls: a piscina do diabo!

BY: Andrea Romani Zerbini
19/12/2017
COMENTÁRIOS: 0

Tentaremos definir de outra forma mas não consegui: Victoria Falls é mesmo um destino de tirar o fôlego, daqueles que faz você se sentir uma formiguinha diante do mundo. Ao mesmo tempo, é tão emocionante que aquela imensidão toda parece que vai transbordar dentro de você.

Meio exagerado e clichê esse comentário né? Mas lá não dá pra ser diferente disso. Aquelas cataratas são mesmo fascinantes e, depois de ficar um tempo contemplando e admirando a força da natureza, não tem como sair de lá sem ficar minimamente impressionado.

Para saber mais sobre esse lugar maravilhoso, confere aqui o que fazer em Victoria Falls e veja todas as dicas de viagem pra esse destino incrível.

Saiba mais sobre Victoria Falls

Considerada o coração da África, as cataratas têm sua formação bem na fronteira entre Zâmbia e Zimbabwe. Listada entre as 7 Maravilhas Naturais do planeta, essa é a maior queda d’água do mundo.

Os números que envolvem essas cataratas são impressionantes: as quedas d’água chegam a 128 metros de altura, e vão ao encontro de um cânion com 1,7 km de extensão no Rio Zambezi, que fica entre os dois países.

As Victoria Falls fazem parte tanto do Parque Nacional Mosi-oa-Tunya (na Zâmbia) como do Parque Nacional Victoria Falls (no Zimbábue). Os parques junto com as cataratas foram escolhidas como Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1989.

Por que a catarata é conhecida como Victoria Falls?

A descoberta desse paraíso aconteceu de uma forma inesperada e curiosa. O explorador escocês, David Livingstone, foi possivelmente o primeiro europeu a se encontrar com a beleza dessas cataratas, em 1855. O nome dado à queda d’água foi uma homenagem de Livingstone à rainha Victoria, que ocupou o trono no Reino Unido até 1901.

Segundo os relatos históricos, a primeira reação de David Livingstone ao descobrir a queda d’água foi de espanto, por causa da fumaça formada pelas gotículas de água e do forte estrondo que vinha da região da catarata.

Mas não se engane: essa reação de espanto não foi exclusiva de Livingstone. Qualquer um fica de boca aberta quando se depara com aquela imensidão.

Apesar do nome “Victoria Falls” ter se tornado oficial e reconhecido internacionalmente, entre a população nativa a queda d’água continua sendo chamada de Mosi oa Tunya (a fumaça que troveja).

O que fazer em Victoria Falls

Dá pra se satisfazer em ir até lá somente pra ver de pertinho aquela imensidão. É possível chegar perto das cataratas tanto pelo Parque Nacional Mosi-oa-Tunya (Zâmbia) quanto pelo Parque Nacional Victoria Falls (Zimbábue).

A entrada pro parque no Zimbábue custa 30 dólares. Já do lado da Zâmbia, a entrada custa 20 dólares. Em cerca de duas horas, passeia-se tranquilamente em cada um deles, embora seja fácil perder a hora admirando a paisagem.

Mais atrações em Victoria Falls

Existem diversas atividades que podem ser realizadas ali além de apreciar a beleza do lugar. Uma delas é fazer uma caminhada pela floresta que cerca as Cataratas. A recomendação é fazer um tour guiado, que costuma durar 2 horas. 

Há também a opção de sobrevoar as cataratas de helicóptero num passeio que dura em média 13 minutos e custa aproximadamente 160 dólares. 

E se você levou tempo, dinheiro e coragem na mala, lá vão duas sugestões. Você pode se aventurar em um rafting, percorrendo 23 km de distância pelo rio Zambezi. Ou ainda, que tal um bungee jump da Ponte Victoria Falls com 111 metros de queda livre? Os passeios custam em média 120 e 160 dólares respectivamente. E para o bungee jump, uma empresa local oferece o serviço, mas é só buscar qualquer agência por lá que eles te redirecionam.

Outra atividade bastante procurada é mergulhar na Devil’s Pool, uma piscina natural que fica à beira das cataratas, a 100 metros de altura. Esse passeio é realizado somente pelo lado da Zâmbia e no período de seca (outubro e novembro, podendo se estender entre agosto e janeiro).

Zambia ou Zimbábue: para onde ir?

Vamos começar essa discussão já avisando que dá pra visitar facilmente os dois lados em uma viagem, assim você pode evitar a dura decisão de escolher um lado apenas. No final desse post você encontra mais explicações de como fazer as duas viagens em uma só.

Se você quiser ter as melhores vistas das quedas d’água, o melhor ponto é o Zimbábue. Você sairá de lá encharcado com os respingos e em êxtase com o cenário surreal das cataratas.

Porém é do lado da Zâmbia que você pode chegar bem pertinho da água. Se estiver na estação seca, terá a chance de dar um mergulho na Devil’s Pool, uma das piscinas naturais mais assustadoras e lindas do mundo! A entrada do parque do lado da Zâmbia custa 20 dólares, mas o passeio até a Devil’s Pool é pago à parte e deve ser feito obrigatoriamente com guia (custa entre 100 e 160 dólares, com uma refeição inclusa).

Como chegar e se locomover em Victoria Falls

Para visitar Victoria Falls você deve escolher por onde quer entrar: Zambia ou Zimbábue.

Se escolher Zimbábue, deverá voar até a cidade de Victoria Falls. O parque fica colado na cidade, sendo possível ir à pé do centro até a entrada do parque.

Caso queira ir para a Zâmbia, o voo é para a cidade de Livingstone. O parque fica a cerca de 10km de distância do centro de Livingstone, e será necessário pegar um táxi para o deslocamento (cerca de 12 dólares).

Chegar de avião é a melhor opção. Para o Zimbábue, dá pra chegar da Namíbia de ônibus, ou ainda da África do Sul em uma combinação de trem + ônibus. Mas as viagens são longas e mais recomendadas para quem vai estender viagem pelo continente.

 

Conhecendo Victoria Falls dos dois lados

E se você não se contentar apenas um lado e quiser conhecer a Victoria Falls dos dois países? Dá pra fazer, basta atravessar a ponte Victoria Falls, que liga a cidade de Victoria Falls a Livingstone. Ah, e a ponte pode ser atravessada à pé. Você pode pegar um táxi até a ponte, mas ele não irá atravessar a fronteira, te deixando na alfândega para fazer a imigração.

Com disposição, dá até pra fazer os dois parques em um dia (ambos funcionam de 6h às 18h). E se quiser chegar na ponte e não atravessar a fronteira, é só avisar na imigração pra não ter o passaporte carimbado.

Passaporte e Vistos para Zâmbia e Zimbábue

Brasileiros precisam de visto para ambos os países. O visto é concedido na chegada a cada país e, apesar da burocracia deixar tudo bem demorado, é um processo simples.

Na Zâmbia, o visto para uma única entrada custa 50 dólares. Para dupla entrada o valor é de 80 dólares. Caso você esteja no Zimbábue e queira atravessar para Zâmbia pra um passeio rápido, tem a opção do visto de 24 horas, que custa 20 dólares.

No Zimbábue, o valor do visto para uma entrada é de 30 dólares e o de dupla entrada é de 45 dólares.

Melhor época para visitar as Victoria Falls

A melhor época para se visitar as Cataratas Vitória é durante a temporada que vai de abril a setembro, quando as chuvas se tornam mais escassas. Nós fomos em fevereiro e encontramos condições perfeitas de tempo. O clima da região é agradável em todas as estações, sem mudanças extremas e com temperatura média de 20° C.

Onde se hospedar em Victoria Falls

Se sua escolha for ficar do lado de Zimbábue, vai contar com boas opções de hotéis a uma curta distância das cataratas, geralmente perto ou nas margens dos rios. O centro turístico onde se encontram as acomodações é relativamente movimentado, onde você também encontra mercados e feirinhas pra comprar lembranças e objetos locais.

Sugerimos ficar no N1 Hotel & Campsite, que tem uma localização ótima e dá pra ir à pé tanto pras cataratas como pro mercadinho tradicional do centro. O hotel tem uma área para camping e também tem quartos bem confortáveis, além de uma piscina. Você pode conferir aqui mais opções de hoteis em Victoria Falls no Zimbábue.

Já na Zâmbia, os hoteis ficam um pouco mais distantes da queda d’água, mas tem bastante opção boa. Não nos hospedamos lá, mas nos recomendaram muito o Green Tree Lodge que fica a 9km das cataratas e dá pra ir andando para o centro da cidade. Tem piscina e chalés bem simpáticos.

Veja outras sugestões de hotéis em Livingstone na Zambia.

Seguro viagem para visitar Victoria Falls: precisa?

Sim. Não só para Victoria Falls como para toda a África, é extremamente recomendado que você faça um seguro viagem. Afinal pra que correr riscos sem necessidade? Inclua esse custo no orçamento da sua viagem, e se pesquisar direitinho ainda consegue pagar bem barato.

Gostou da matéria? Acompanhe nosso Facebook e veja muito mais! 

Fonte

234
Categoria: Destinos

Andrea Romani Zerbini

Há mais de 16 anos no mercado de turismo, essa é minha paixão desde os meus 19 anos. Sou Turismóloga: já trabalhei em companhia aérea, agências de viagem particulares e especializadas em atendimento corporativo. Aos 24 venci a insegurança e montei meu próprio negócio. O que mais me cativa é o relacionamento com diferentes públicos todos os dias: fazer parte do planejamento e assessoramento de suas viagens é o que me realiza.

Comentários

Comentar Publicação

Andrea Romani Zerbini

Há mais de 16 anos no mercado de turismo, essa é minha paixão desde os meus 19 anos. Sou Turismóloga: já trabalhei em companhia aérea, agências de viagem particulares e especializadas em atendimento corporativo. Aos 24 venci a insegurança e montei meu próprio negócio. O que mais me cativa é o relacionamento com diferentes públicos todos os dias: fazer parte do planejamento e assessoramento de suas viagens é o que me realiza.

Instagram

Mais Visitados

Área Restrita

Portofino Turismo © 2018 - Todos os direitos reservados | MaPa.


Razão Social: H.R. Turismo e Passagens Ltda.     CNPJ: 06.256.161/0001-27