5 valiosas lições do livro '100 dicas para viajar melhor', de Ricardo Freire

BY: Andrea Romani Zerbini
28/07/2018
COMENTÁRIOS: 0

1) A Europa sempre estará lá

Uma das primeiras dúvidas que surgem na cabeça dos turistas de primeira viagem é quantos países europeus é possível conhecer em uma só viagem, como o autor descreve no livro, esse é um grande equívoco, inclusive falei sobre esse assunto em meu artigo 8 dicas para economizar em viagens à Europa.

O turista não deve fazer um girão pelo velho continente, na verdade, para aproveitar melhor a viagem e o orçamento é recomendável ficar pelo menos alguns dias em cada parada, melhor se você tiver um foco em sua viagem e planejar conhecer com maior profundidade um país ou uma região específica.

Ficar pulando de galho em galho na Europa é um grande desperdiço de tempo e dinheiro, você ficará muito tempo viajando e pouco tempo desfrutando de suas férias. Tente focar algo em torno de pelo menos 3 dias inteiros em cada cidade, sempre com um ritmo desacelerado, para poder aproveitar melhor, caminhar livremente pelas ruas e ter sua própria experiência de viagem, saindo da caixa, vendo coisas novas não somente os pontos turísticos.

Lhe garanto que há muito mais graça na parte desconhecida que nos cartões postais, a Europa é feita de detalhes e estes pequenos detalhes que somente você consegue viver em uma viagem é que ficam guardados para sempre.

Planeje sua viagem em partes, você sempre poderá voltar depois, não tente incluir toda a Europa em 10 dias pois não irá aproveitar absolutamente nada, você tirá fotos, mas nunca recordações.

 

2) Tenha os pontos turísticos somente como referência

Muitos turistas que não dão tanto valor ao sentido histórico e cultural dos lugares onde passam deixam de aproveitar muito cada minuto em sua viagem. Não me refiro somente à Europa, mas isso aplica-se a qualquer destino do mundo.

Os pontos turísticos devem ser encarados como o ponto de partida, como a referência, mas a viagem é muito mais do que isso, dali pra frente você terá a oportunidade de conhecer mais do que os outros. Por essa razão os City Tours passam a perder sentido, talvez seja bom para saber o que ver nos dias seguintes, mas você não vai precisar disto se for preparado para sua viagem. Se comprar um excelente guia de bolso que lhe dê as pautas para que você possa fazer sua própria viagem.

É nas ruelas, nos cantinhos, no trem, durante a caminhada, é nestes momentos que você vive sua viagem, seja ao comprar um lanche na rua, naquele carrinho de crepe, ou aquele fato inusitado que somente você percebeu.

Quando passei 10 dias em Paris no início deste ano, conheci muitas coisas, bati ponto em todos os cartões postais da cidade, porém, nada vai substituir uma experiência que vivi com minha esposa, certo fim de tarde, tínhamos que encontrar alguns amigos num bairro parisiense um pouco suspeito, a aventura marcou nossa viagem, o cenário típico europeu, com construções antigas, luz baixa nos postes, um frio de rachar em pleno inverno. Isso marcou nossa passagem por Paris e de certa forma não há como contar, somente vivendo para sentir essa experiência.

Ríamos e nos divertíamos enquanto não sabíamos exatamente onde estávamos, observávamos cada cantinho, cada curva, admirávamos as vitrines, os bares, as pessoas, tudo foi muito único e não trocaria por nada.

 

3) Mais é menos, quase sempre

Pense comigo, se você viaja sozinho tudo sai mais caro não é mesmo? Então, viajar em mais pessoas sempre torna tudo mais fácil, é mais barato alugar um carro entre 4 pessoas do que entre duas, é mais barato pagar um pedágio em 4 do que em 2, fica realmente mais em conta alugar uma casa de temporada onde ficam 6 pessoas do que hospedar-se cada casal em uma habitação de hotel.

Em viagens sempre mais é menos, vou dar mais exemplos, ficar mais tempo em um destino pode significar facilmente menos dinheiro investido, ao ficar mais dias você sair da zona de conforto e começa a encarar o destino de outra forma, aprende as manhas e evita cair nas roubadas que lhe consomem mais dinheiro.

Ficar mais tempo em uma cidade significa que você terá mais tempo para conhecer os lugares, portanto gastará menos dinheiro em taxi, ao optar pelo transporte público, gastará menos em restaurantes pois poderá sair da região delimitada para turistas, poderá gastar menos ao conseguir participar dos eventos gratuitos, como por exemplo os dias grátis de museu.

Em todos os sentidos mais é menos em uma viagem, ao comprar uma lembrança você paga X, mas ao comprar 5 para levar aos familiares você pode obter um bom desconto e pagar menos.

Finalmente, quanto mais você estudar antes de partir para sua viagem, menos dinheiro irá gastar pois estará menos propenso a cair nas armadilhas montadas para pegar turista bobo, estude, leia, invista tempo antes de sair de casa e aproveite muito melhor sua viagem.

 

4) Leve poucas roupas

Já falei sobre esse assunto dentro do artigo Aprenda a fazer as malas como um profissional, lá eu explicava sobre a possibilidade de você viajar somente com uma malade mão caso for fazer compras em seu destino.

Tem todo o sentido, comprar roupas fora do Brasil, sobretudo de grife, é sempre mais vantajoso lá fora, muitos brasileiros aproveitam suas viagens para renovar o guarda-roupas, sendo assim, não há nada melhor do que levar poucas roupas para poder se virar somente nos primeiros dias de viagem.

Como você irá fazer compras, terá as roupas novas para vestir depois, isso fará com que você economize muitos quilos de bagagem na volta. Pagar excesso de bagagem por ter se empolgado custará mais caro do que comprar roupas de grife no Brasil, portanto, seja esperto e siga a recomendação.

A melhor forma de evitar o excesso de bagagem é saindo de casa mais leve, simples, objetivo e econômico!

 

5) Pense sempre em sua próxima viagem

Por último, mas não menos importante, aprendi lendo o livro 100 dicas para viajar melhor do Ricardo Freire, que é importantíssimo voltar de sua viagem já programando a próxima.

Veja bem, já falamos sobre algumas coisas realmente certas neste artigo, como por exemplo o fato de que a Europa não irá se mudar (tão cedo), com isso você deve viajar um destino por vez para poder aproveitar melhor, falamos também que precisamos de mais dias para conhecer melhor os lugares que vamos visitar, e tudo isso nos leva a um objetivo: realizar uma nova viagem.

Quando voltamos para casa sentimos uma espécie de depressão, inclusive quero dedicar um artigo somente sobre esse assunto futuramente. Essa depressão é um indício de que vamos voltar à nossa rotina, ao trabalho, ao país incrivelmente sub-desenvolvido que vivemos, vamos conviver com os mesmos problemas do Brasil e que nos chateiam tanto.

Como fazer para não cair nessa? Como não se deprimir ao pensar que o sonho acabou e agora vamos voltar para nossas vidas de pobres mortais?

imples, planejando a próxima viagem. Você certamente estará pensando:

“PERAÍ, EU NEM TERMINEI DE PAGAR ESSA VIAGEM, NÃO TENHO NEM IDEIA DE QUANDO VOU PODER VIAJAR NOVAMENTE!”.

Claro, estamos juntos amigos, aqui em casa o dinheiro não nasce em árvore tampouco, mas sem planejamento não há nova viagem, sem disciplina não temos como voltar a viver esses maravilhosos dias de cidadão do mundo.

Comece por assistir filmes que lhe façam relembrar os lugares que visitou, é uma excelente terapia, ou melhor, veja filmes e documentários sobre os novos lugares que pretende conhecer, também vai lhe manter motivado e focado em seu próximo objetivo.

 

Considerações Finais

Bom pessoal, não tenho como me despedir desse artigo sem lhes recomendar fortemente a leitura deste grande livro, um livro de leitura gostosa, sem ser chato e que você poderá terminar em poucos dias.

O livro possui uma linguagem simples e está escrito para turistas de todos os bolsos, com dicas de economia e para aproveitar melhor suas viagens, antes, durante e depois.

 

Onde comprar o livro?

Saraiva – 100 dicas para viajar melhor – Ricardo Freire -> R$16,50

 

Fonte

116
Categoria: Destinos

Andrea Romani Zerbini

Há mais de 16 anos no mercado de turismo, essa é minha paixão desde os meus 19 anos. Sou Turismóloga: já trabalhei em companhia aérea, agências de viagem particulares e especializadas em atendimento corporativo. Aos 24 venci a insegurança e montei meu próprio negócio. O que mais me cativa é o relacionamento com diferentes públicos todos os dias: fazer parte do planejamento e assessoramento de suas viagens é o que me realiza.

Comentários

Comentar Publicação

Andrea Romani Zerbini

Há mais de 16 anos no mercado de turismo, essa é minha paixão desde os meus 19 anos. Sou Turismóloga: já trabalhei em companhia aérea, agências de viagem particulares e especializadas em atendimento corporativo. Aos 24 venci a insegurança e montei meu próprio negócio. O que mais me cativa é o relacionamento com diferentes públicos todos os dias: fazer parte do planejamento e assessoramento de suas viagens é o que me realiza.

Instagram

Mais Visitados

Área Restrita

Portofino Turismo © 2018 - Todos os direitos reservados | MaPa.


Razão Social: H.R. Turismo e Passagens Ltda.     CNPJ: 06.256.161/0001-27